Loading

Venda direta e a tecnologia

O que os especialistas dizem sobre o mercado de Venda Direta.

  • A venda direta ao redor do mundo.

    De acordo com o relatório anual da WFDSA:

    • $180 bilhões de dólares em revendas;
    • 100 milhões de consultoras
    • Mesmo com a crise, é um mercado em expansão;
    • Quase 50% das vendas foram feitas em países emergentes;

  • Qual o tamanho do mercado de Venda Direta?

    O mercado de venda direta é gigantesco. De acordo com a WFDSA (World Federation of Direct Selling Associations) giram $180 bilhões de dólares em revendas no mercado de venda direta, através de 100 milhões de consultores.

    Mesmo com a crise, o mercado de VD tem crescido todos os anos, pois possui uma variedade de produtos e preços, que se estendem em todas as classes sociais. E é claro, a grande força da venda direta são o exército de 100 milhões de consultoras ao redor do mundo, que usam do relacionamento com o cliente como o grande diferencial na venda.

  • A Venda direta no Brasil

    De acordo com o relatório anual da WFDSA

    • Brasil é o 5º maior país no mercado de venda direta.
    • Aproximadamente 4,5 milhões de vendedores brasileiros
    • 13 bilhões de dólares circularam no ano de 2014.
    • Cosméticos e itens de higiene pessoal representam 84% deste mercado.

  • E o Brasil? Como estamos na Venda Direta?

    O Brasil é um grande player no mercado de venda direta no mundo. É responsável por uma grande parcela do mercado, sendo o 5º maior país no mercado, na frente da Alemanha, França, Canadá, entre outros.

    O brasileiro tem encontrado na venda direta uma saída para a crise que assola o país nos últimos anos. Com o aumento do desemprego, o brasileiros tem procurado saídas simples e lucrativas para ganhar um dinheiro extra e a venda direta tem se mostrado uma das melhores saídas..

    Tanto as vendas quanto o número de representantes tem aumentado nos últimos anos, pois a grande força deste mercado é o relacionamento entre as clientes e as consultoras. Este relacionamento aumenta as vendas, dado que a consultora sugere produtos mais baratos ou em datas especiais sempre com foco no cliente especifico.

    Outro fator importante é que o mercado de cosméticos, que representa 84% da VD no Brasil, é extremamente forte. A brasileira não vai parar de consumir produtos de beleza, mesmo com a crise. Ela pode diminuir ou mudar para produtos mais baratos, mas não vai parar de comprar.

  • O novo consumidor: ONLINE

    De acordo com WebShoopers (edições 2015 e 2016)

    • 103 milhões de Brasileiros tem acesso a internet
    • 59% dos consumidores buscam informações de um produto na internet, antes de comprar.
    • O brasileiro passa em média aproximadamente 4 horas por dia no celular. (StatCounter, Q1 2015)
    • 17,6 milhões de consumidores virtuais realizaram pelo menos uma compra no primeiro semestre de 2015.

  • Como esse novo consumidor se comporta?

    Ele está sempre na internet. Simples assim. Este novo consumidor está nas redes sociais, blogs e portais de comunicação. E está cada vez mais ávido por comodidade.

    Um dos fatores mais surpreendentes deste novo consumidor é a diminuição do poder das mídias offline (TV, revistas e rádios) na decisão de compra. Em uma pesquisa feita pela WebShoppers, apenas 6% consumidores virtuais foram influenciados pelas mídias offline em suas compras. Esta é uma mudança absurda em relação ao passado, aonde a propaganda na TV era a grande referência de mídia.

    Na última década, o consumidor começou a pesquisar produtos, preços, buscar referências e a comprar pelo celular. O mundo online faz parte da realidade do consumidor, e portanto, deve ser parte realidade da empresa. É uma obrigação das empresas do século XXI.

    E não pensei que são apenas os jovens que estão nesta nova onda do consumo pela internet. De acordo com a WebShoppers, a média idade do consumidores virtuais é 43 anos.

  • Compras Online no Brasil

    De acordo com WebShoopers(edições 2015 e 2016)

    • 17 milhões de consumidores virtuais realizaram pelo menos uma compra no primeiro semestre de 2015.
    • Nas principais regiões do Brasil, mais de 50% realizou uma compra online no último ano.
    • O mercado virtual girou R$ 41 bilhões de reais.
    • No último dia do consumidor (18/03/2015), mais de 50 mil pessoas fizeram sua primeira compra pela internet.
    • Brasil é o 10 maior mercado de ecommerce do mundo

  • O Brasileiro compra muito na internet?

    O Brasileiro compra muito na internet?

    Sim. muito.Hoje, o Brasil é o 10º maior mercado de Ecommerce do mundo. Em 2015 foram R$41 bilhões de reais. Divididos entre entre os 39 milhões de consumidores ativos no Brasil, com um ticket médio de R$ 388,00.

    São números consideráveis, dado a atual crise econômica. O que mostra que a venda online no Brasil não é uma tendência, e sim uma realidade.

    Além de utilizar a internet para redes sociais, o consumidor brasileiro compara preços de produtos, faz pesquisas de satisfação, pesquisa empresas e finaliza a compra pela internet.

    E estes consumidores onlines, só crescem. Em 2015, tivemos um aumento de 3%, totalizando cerca de 39 milhões de consumidores. Cerca de 25% da população brasileira.

  • E-Commerce e Mobile Commerce

    De acordo com WebShoopers(edições 2015 e 2016)

    • O valor médio de compras realizadas em e-commerce chegou a R$ 388 no primeiro semestre de 2015, um aumento nominal de 12% em relação ao ano anterior;
    • O E-Commerce brasileiro registrou um aumento de 16% no faturamento online em 2015;
    • O primeiro semestre de 2015, registrou a tendência de consolidação de dispositivos móveis (smartphones e tablets) como um forte canal de vendas, atingindo um share transacional de 10,1% das vendas;
    • Entre os consumidores virtuais que declararam possuir smartphone ou tablet, quase metade fez uma compra por meio desses dispositivos no primeiro semestre de 2015;

  • Como as empresas tem conseguido vender tanto?

    A tecnologia do ECommerce e Mobile Commerce se espalharam pelas empresas de varejo. Com as vantagens do mercado virtual, como capilaridade e menor custo operacional, o varejo entrou de cabeça neste novo canal.

    O Mobile commerce tem crescido muito e pulou de 10% para 15% em um ano. Isto é, R$6.1 bilhões foram transacionados pelo Mobile ecommerce. E mais que isso. um em cada três clientes afirmam que visitaram a loja pelo celular antes de finalizar a venda pelo desktop.

    Com o acesso de banda larga e smartphones, a população brasileira tem entrado de cabeça na utilização do celular para planejar, visualizar e finalizar suas compras.

    Hoje, o mobile é o caminho mais curto entre a loja e seu consumidor. Um site responsivo não é mais o suficiente. Se uma empresa quer uma fatia deste generoso mercado online brasileiro, tem que se adaptar, e rápido.

  • Esse é o grande desafio.

    Apesar da força do mercado online no varejo, o comércio eletrônico não tem sido destaque nas vendas diretas. Algumas empresas estão se movimentando, mas todas são cautelosas.

    A dificuldade de abrir um canal online é o CANAL CONCORRENTE. Isto é, se uma empresa de VD criar um ECommerce simples, vai concorrer diretamente com suas próprias consultoras, o que não faz nenhum sentido.

    O desafio é criar uma canal concorrente que alie a força das consultoras que estão em campo com a versatilidade e capilaridade do comércio virtual.

    E é neste ponto que a VD Digital se encaixa. Aliamos a tecnologia de ponta de um Ecommerce e Mobile Commerce com a força de vendas das consultoras.

  • E a venda direta na internet?

    • E-Commerce da sua marca, trabalhando em conjunto com sua consultora.
    • Mobile Commerce, isto é, um aplicativo na mão da sua cliente final.
    • Aplicativo para sua representante, para receber pedidos, visitas e aumentar ainda mais suas vendas.
    • Painel de gerenciamento para a marca, com visibilidade de tudo que acontece em campo.

“De forma geral, as empresas que hoje trabalham no modelo de Venda Direta, independente do seu formato, que melhor conseguirem unir e-commerce, m-commerce e a venda direta com certeza serão aquelas que vão se destacar no mercado.”

“Hakki Ozmorali - Fundador da Direct Sales Connsultoria e autor no blog World of Direct Selling.”